Senado deve analisar decretos de saneamento na 4ª feira


Pacheco fez uma análise das alterações feitas por Lula no plenário; governo ainda tenta evitar votar

Ó Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pautou a análise do projeto que derruba trechos de decretos de saneamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no plenário da Câmara para a 4ª feira (5 de julho de 2023). No entanto, segunda pressa ou Power360O governo ainda não tem um acordo sobre o assunto com os senadores e tenta evitar a votação.

A ser analisado em sessão plenária da Casa Alta, ou PDL (projeto de decreto legislativo) 98 2023 ainda aguarda aprovação urgente para análise. Também é necessário apresentar uma opinião sobre o tema.

O projeto que derruba trechos de dois decretos de Lula ainda tramita na Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado. O relator é o presidente do colegiado, senador Confúcio Moura (MDB-RO), definido em 13 de junho.

A votação é pedida por parlamentares da oposição. Em 13 de junho, o líder da oposição, senador Rogério Marinho (PL-RN), solicitou que a minuta dos decretos de saneamento seja colocada em votação no plenário.

Na ocasião, Pacheco afirmou que era preciso respeitar o procedimento na comissão. “Certamente, o Senador Confúcio Moura, presidente desta comissão, cuidará de apreciar, votando favoravelmente ou não; Mais que agradece o PDL que busca fundamentar este decreto referente ao marco legal do saneamento, que foi votado no Congresso Nacional“, ele disse.

Na opinião do colegiado e, mais importante, na concordância dos senadores, o governo deveria tentar retirar o projeto do plenário. O governo tenta desde maio acertar um termo médio e evitar que os decretos sejam derrubados pelo Congresso – a Câmara impôs uma derrota ao Executivo, não tema.

Uma ideia foi defendida pelo líder do Governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), seria a edição de um novo decreto. O novo texto seria acordado antes como o Congresso Nacional.

Ministros do governo também visitaram o Senado em diversas ocasiões para se pronunciar sobre os decretos de saneamento. Durante audiência pública não colegiada sobre Infraestrutura, os ministros rui costa (Casa Civil) e Jader Filho (Cidades) defenderão as remoções.

Costa afirmou que os decretos presidenciais 11.466 e 11.467editada pelo governo em abril, retoma a vontade do Congresso e aprimora a lei que foi instituída “omitir” após alterações feitas pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Jader afirmou que o texto deve atrair investimentos internacionais para o setor não brasileiro.



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *