Reforma tributária combate desigualdade de gênero, diz Tabata


Deputado afirma que sistema tributário atual é desigual por “arbitrariedade e falta de transparência”

para deputado federal tabata amaral (PSB-SP), integrante do grupo de trabalho da reforma tributária da Câmara, afirma que o novo sistema de unificação tributária combate a desigualdade de gênero na tributação.

Tabata afirmou, em entrevista ao CNN Brasil publicado nesta 2ª feira (3 de julho de 2023), que o modelo atual é desigual “arbitrariedade e falta de transparência”. Segundo ela, ou o acesso a cargos políticos que permitam “lutar” devido aos benefícios fiscais, ele está desequilibrado e ocupado “principalmente por homens brancos”.

Um deputado avalia isso ou dinheiro de volta (restituição de impostos) são dois pontos que ainda precisam avançar na reforma em prol da redução da desigualdade tributária.

“A população mais pobre, consequentemente mulheres e negros, paga proporcionalmente mais impostos do que a população mais rica e seria beneficiada por esse mecanismo”eu declarei.

Na noite de domingo (2.jul), ou deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), coordenador do GT da reforma tributária, disse que a Câmara vai focar a votação do texto no dia 4 (5 de julho) ou na 5ª feira (6 de julho). A afirmação foi feita após reunião da aliança dos dirigentes partidários na residência oficial do presidente da Câmara, Artur Lira (PP-AL), em Brasília.

ENTENDA UMA PROPOSTA

O relator da reforma tributária na Câmara dos Deputados, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), apresentou no dia 22 de junho proposta que vai transferir para arrecadação dois impostos sobre o consumo no país. Entre as diretrizes, está a dualidade do ICMS (Imposto sobre Valor Agregado) sobre bens e serviços, com uma tributação federal e outra estadual/municipal, e a mudança na arrecadação do imposto da origem para o destino.



Atualmente, o país possui 5 tributos que incidem sobre os produtos adquiridos pela população: IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS. Por concepção, simplifica a não dualidade do ICMS para benefícios e serviços, com uma tributação federal, que unificaria IPI, PIS e Cofins, e outra estadual/municipal, que unificaria ICMS e ISS. você está inteiro proposta (652 KB) e fornece apresentação (1MB).

O relato de Aguinaldo apresenta um padrão único de IBS (Imposto sobre benefícios e serviços). Também propõe redução de 50% nas tarifas de transporte coletivo, medicamentos, equipamentos médicos, serviços de saúde, educação e produtos agrícolas.

Outra medida presente no texto é ou dinheiro de volta às pessoas de baixa renda, para que tenham ressarcimento de despesas como o imposto sobre produtos básicos, a ser definido em lei complementar.



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *