Quase 1.000 são presos em 4ª noite de protestos na França


Foram mobilizados 45.000 policiais; O governo vive uma situação mais calma, mas com atos violentos em lugares como Lyon e Marselha

Quase 1.000 pessoas (994) foram presas e 79 policiais feridos nos protestos na França na noite da 6ª feira (30 de junho de 2023) e na madrugada de sábado (1º de julho), segundo ou governo francês. O Ministério do Interior diz que os números fazem parte de um “avaliação nacional provisória”. A informação está no jornal o mundo.

Os manifestantes protestam contra a morte de um adolescente pela polícia. Durante todo o ano, 45 mil policiais foram mobilizados para praticar atos violentos na 4ª noite consecutiva de protestos. Novos jantares de violência acontecerão em várias cidades francesas, especialmente em Marselha, Lyon, Grenoble e Saint-Etienne. Mas, segundo o ministério, as manifestações foram, de forma geral, “de menor intensidade face à noite anterior”.

O governo diz que 1.350 veículos e 234 edifícios foram incendiados ou vandalizados. Foram registrados 2.560 incêndios em vias públicas.

O presidente da França, Emmanuel Macron, deixou uma liderança da UE (União Europeia) em Bruxelas na 6ª semana da semana (30 de junho) para participar de uma reunião de crise. Ele pediu ao país que mantenha os filhos em casa e acusou as empresas de redes sociais de realizar um “papel considerável”, alegando que a violência está sendo organizada online. Peça a plataformas como Snapchat e TikTok para remover conteúdo confidencial.

Veja umas duas imagens:

ENTENDA OU CASO

Na manhã da 3ª feira (27 de junho), por volta das 8h15 locais (3h15 de Brasília), um jovem de 17 anos foi parado em uma blitz que ocorria na avenida Joliot-Curie, em Nanterre, região metropolitana de Paris.

Segundo a polícia, os seguranças fiscalizavam uma Mercedes que supostamente trafegava em faixa exclusiva de ônibus. Na ocasião, a polícia local confirmou que o motorista do veículo se recusou a parar e avançou contra dois agentes. A polícia, então, agarra o peito do jovem.

Entretanto, um vídeo publicado no Twitter depois que o caso foi visto pelo público mostra uma versão diferente. Nas imagens, 2 policiais estão posicionados próximos a um carro amarelo e parecem impedir o avanço do veículo. Um deles, de pé e encostado no para-brisa, aponta uma arma para o motorista. O carro, enquanto avança, o policial atira. De imediato, é possível perceber que o carro bateu em um poste.

O segundo ministro do Interior, Gérald Darmanin, ou policial responsável pelo tiroteio, está sob custódia. Além disso, duas questões foram abertas pela Inspeção Geral da Polícia Nacional para apressar o caso.


Leia mais sobre a situação na França:



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *