PF diz que vídeo de Moraes em aeroporto foi editado; defesa nega


Gravação foi entregue na 4ª feira (19 de julho) e, segundo defesa, ministro apresenta duas suspeitas de “bandido”

A PF (Polícia Federal) enviou ofício na 5ª feira (20 de julho de 2023) ao advogado Ralph Tórtima, responsável pela defesa do trio suspeito de assediar o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, dizendo que o vídeo será entregue no dia 4 (19 de julho) foi editado. A corporação solicitou a gravação completa de Alex Zanatta.

Em nota, Tórtima afirmou que o vídeo foi disponibilizado na íntegra e começou a ser gravado depois que Moraes deixou a área VIP do Aeroporto Internacional de Roma (Itália) e começou a fotografar o casamento de Mantovani e Zanatta.

Em entrevista com Power360 Neste dia 5 (20 de julho), Tortima criticou o fato de Moraes e seu filho, Alexandre Barci Moraes, ainda não terem feito depósito à PF (Polícia Federal) sobre o episódio.

Entenda a cronologia narrada pelo advogado Ralph Tórtima ao Power360segundo a versão do arguido:

  • O casal Mantovani e Zanatta desembarcaram do voo e estavam na sala VIP do Aeroporto Internacional de Roma (Itália). Neste momento, a defesa informa que ainda não viu o ministro Alexandre de Moraes;
  • Ao passar pela entrada da sala vip, Roberto identifica o ministro entrando em local reservado e informa a família;
  • Os suspeitos tentam entrar no local, mas informam que a sala está fechada. Então, Andreia vai até a recepção e critica o fato de não poder entrar;
  • Nesse momento, o segundo advogado de dois suspeitos, ou filho de Moraes, Alexandre Barci, teria feito “ofensas” à Andréia;
  • Por causa das supostas ofensas do filho do ministro à esposa, Roberto Mantovani ou teria estendido o braço — a defesa não soube dizer se ele era um disfarce ou se suspeitava do filho do ministro.
  • Alexandre Barci, filho de Moraes, foi questionado se o empresário queria “briga”ao que respondi que “nada”;
  • Após essas críticas, a casa Mantovani e Zanatta foi para outra sala vip do aeroporto, mas eu também não consegui entrar. Portanto, voltei ao local reservado onde estava Moraes;
  • Quando voltou, o filho de Moraes teria voltado a proferir novas ofensas a Andreia. A situação teria sido amenizada por outras pessoas que estavam por perto;
  • Moraes teria expulsado o filho da sala VIP e conversado com ele reservadamente. De imediato, o próprio ministro tirou fotos em dois fôlegos e disse que seriam identificados quando fossem ao Brasil, diz a defesa;
  • Zanatta teria começado a fiscalizar o ministro e questionado se a declaração seria uma ameaça grave. Nessa época, Moraes teria chamado o gênero de casal de Mantovani debandido”.
  • Moraes e o filho voltaram para o quarto após desentendimento.

Assistir a toda a entrevista (14min25sec):



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *