O que você deve saber sobre diabetes canina


dachshund no veterinário

Nunca é um momento divertido quando seu cão não está se sentindo bem. Muitas vezes, você precisa identificar os sintomas do seu cão e tentar adivinhar o que pode estar acontecendo. Afinal, seu cão não pode dizer o que está sentindo ou por quê – cabe a você e ao seu veterinário descobrir. Assim como o diabetes ocorre em humanos, também pode ocorrer em cachorros. E, está se tornando um problema mais comum. Aqui está o que você deve saber sobre diabetes canina:

O que é diabetes canina?

índice

O diabetes canino, também chamado de diabetes mellitus, é um distúrbio de deficiência de insulina. Muito parecido com os humanos, um cão com diabetes não pode processar ou metabolizar adequadamente o açúcar. Isso resulta em altos níveis de glicose no sangue e baixos níveis de glicose nas células, o que causa muitos problemas. Semelhante aos humanos, os cachorros também podem ser diagnosticados com diabetes tipo 1 ou tipo 2.

Diabetes tipo 1 em cachorros

O diabetes tipo 1 é considerado diabetes juvenil ou diabetes congênito. Em muitos casos, o diabetes tipo 1 em cachorros pode ser controlado com dieta e exercícios. Alguns casos também podem exigir terapia com insulina, mas nem sempre é esse o caso.

Diabetes tipo 2 em cachorros

Com diabetes tipo 2, que é uma doença adquirida, o cão requer insulina porque o pâncreas do cão não consegue secretar os níveis adequados de insulina necessários para regular a ingestão de açúcar. É por isso que às vezes também é chamado de diabetes mellitus dependente de insulina (IDDM). O tipo 2 geralmente ocorre em cachorros mais velhos e, geralmente, o início ocorre quando os cachorros têm 7 a 9 anos de idade. Também é mais comum em cachorros com excesso de peso e raças de cachorros grandes e gigantes.

Quais são os sintomas de diabetes em cachorros?

Seu veterinário fará um exame de sangue para determinar se seu cão é diabético, mas conhecer os sinais e sintomas a serem observados pode ajudá-lo a obter a ajuda de que seu cão precisa mais rapidamente. Tal como acontece com muitas outras condições de saúde em cachorros, vários dos sintomas se sobrepõem, mas qualquer um dos seguintes sintomas é motivo de preocupação e justifica uma visita ao veterinário.

Alterações na ingestão de alimentos e água

Cães com diabetes canina ou que estão desenvolvendo diabetes canina apresentarão mudanças na ingestão de alimentos e água. Eles podem começar a beber e comer com mais frequência devido à sensação de sede ou fome excessiva. Eles também podem começar a comer menos devido à perda de apetite e podem apresentar sinais de desidratação, apesar do aumento da ingestão de água.

Mudanças Comportamentais

Seu cão provavelmente também apresentará algumas mudanças comportamentais, como micção excessiva, que pode contribuir para a desidratação e dificuldade para dormir. Um cão com diabetes canina também pode apresentar respiração rápida, letargia e mostrar sinais de depressão.

Mudanças físicas

Além de outros sintomas, seu cão pode apresentar sintomas físicos ou seu corpo pode sofrer alterações físicas em resposta ao diabetes. Dor abdominal, mudança no cheiro do hálito, vômitos, perda de peso, catarata e muito mais podem ser sintomas de diabetes canina.

Outro problema é a cetoacidose, que é uma condição com risco de vida em que a insulina insuficiente causa muitas cetonas no sangue e na urina. Você pode não conseguir ver esse sintoma sem a ajuda de um veterinário e alguns exames, mas é importante saber o que é e que pode estar relacionado ao diabetes canino caso apareça.

Como você trata o diabetes canino?

O tratamento da diabetes canina depende do tipo de diabetes do seu cão e da sua gravidade. Mas há algumas coisas que você e seu veterinário podem fazer para ajudar seu cão a lidar com a condição.

exercício

Como os cachorros com excesso de peso correm maior risco de diabetes, o exercício antes de um cão desenvolver diabetes pode ajudar a preveni-lo em primeiro lugar, pois os cachorros com o peso corporal adequado tendem a ter menos probabilidade de desenvolvê-lo. Também é importante no tratamento de diabetes em cachorros. Cães com diabetes que conseguem atingir seu peso corporal ideal tendem a se estabilizar.

Cães obesos podem desenvolver resistência à insulina, o que pode tornar a terapia com insulina para o tratamento do diabetes mais difícil e menos eficaz. Portanto, o exercício pode ajudar a tornar o tratamento mais eficaz para esses cachorros à medida que eles perdem peso. Isso é especialmente importante para o diabetes tipo 2, porque geralmente requer tratamentos com insulina para gerenciá-lo adequadamente.

Dieta

A dieta também é importante para controlar um cão com diabetes e um cão em risco. A digestão libera glicose na corrente sanguínea, de modo que uma refeição que consiste em muito açúcar desencadeará uma descarga repentina de glicose no sangue. Cães com diabetes tipo 2, ou IDDM, não conseguem regular esse influxo de açúcar.

Em vez de refeições com muito açúcar, os cachorros com risco de desenvolver diabetes ou que já a têm devem consumir uma dieta com baixo teor de gordura e rica em fibras e carboidratos complexos. Em vez da liberação repentina de glicose que acompanha o açúcar, esses alimentos liberam glicose mais lentamente ao longo de um período de tempo, o que ajuda a manter os níveis mais estáveis ​​no corpo do seu cão e permite que você o ajude a administrá-lo com injeções de insulina, se necessário.

Seu veterinário trabalhará com você para identificar a abordagem e a dieta adequadas para o seu cão para ajudar a diminuir o risco de desenvolver diabetes ou para ajudar a controlar sua condição atual.

Injeções de insulina

Cães com diabetes tipo 2, ou IDDM, precisarão de injeções de insulina em casa, pois seus corpos não são capazes de produzi-la naturalmente. É importante para a eficácia do tratamento que essas injeções sejam administradas de forma consistente e regular. Cada cão que necessita de insulina terá um requisito diferente, então você e seu veterinário decidirão qual é o melhor para eles.

Existem três tipos gerais de injeções de insulina – de ação curta ou de curto alcance, de médio alcance e de longo alcance. As insulinas de ação curta tendem a funcionar por 1-4 horas, enquanto as insulinas de médio alcance trabalham de 4 a 24 horas e as insulinas de longo alcance funcionam de 8 a 28 horas. Dependendo do seu cão, eles podem exigir apenas uma injeção de insulina por dia ou podem exigir mais.

O tratamento pode ser um tipo de injeção de insulina ou uma combinação para dar ao corpo o que ele precisa. Também pode levar algum tempo e experimentação para encontrar a abordagem certa, pois normalmente são necessárias várias visitas ao veterinário junto com exames de sangue para descobrir o que funciona melhor.

Exames veterinários regulares, uma boa dieta e um estilo de vida ativo podem ajudar muito a manter seu cão saudável. Mas, as coisas ainda podem acontecer até mesmo com os cachorros mais saudáveis ​​e ver seu cão apresentar sintomas incomuns é assustador. Saber o que procurar e o que esperar pode ajudar você e seu cão a obter a ajuda necessária para enfrentar a tempestade juntos.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *