O que é avaliação 360 graus e por que ela é fundamental na empresa?


Poucas ferramentas são tão importantes para o desenvolvimento profissional e pessoal quanto o feedback. Não por acaso, a cultura de comunicar erros e acertos aos colaboradores — com o intuito de avaliar seu desempenho e motivá-los — é cada vez mais valorizada no contexto empresarial. Nesse cenário, a avaliação 360 graus é um dos métodos mais aplicados nos negócios.

Com um modelo de análise abrangente, essa metodologia pode trazer resultados surpreendentes para a melhoria das competências e das habilidades do tempo. Para ajudar você a esclarecer suas dúvidas sobre o assunto, reunimos as principais informações sobre o processo e seu modo correto de aplicação. Confira!

O que é uma avaliação 360 graus?

índice

Também conhecido como Avaliação Multivisão, Feedback 360 graus e Feedback com Múltiplas Fontes, a avaliação 360 graus é consensual de um treino que visa identificar e analisar a percepção coletiva sobre um determinado profissional.

Nesse sentido, uma característica importante do modelo é que ele não considera apenas a opinião dos superiores, mas também capta a perspectiva de subordinados, colegas de trabalho e do próprio colaborador supervisor. Muitas vezes, as organizações incluem até mesmo fornecedores e clientes no processo.

Através dessa avaliação global, o objetivo da metodologia é promover uma melhoria contínua do desempenho dos funcionários na empresa (especialmente os gerentes), fornecendo um feedback preciso sobre seu comportamento, suas ações e seu desempenho profissional em geral.

Qual é a diferença entre avaliação 360 graus e feedback 360 graus?

Como vimos, a avaliação 360 graus é comumente conhecida por outros termos, principalmente como feedback 360 graus. Mas será que essas expressões realmente se referem à mesma coisa na prática? Não necessariamente!

Na verdade, a avaliação 360 graus diz respeito a um modelo de formulário/questionário pelo qual o avaliador dá notas ou avaliações ao colaborador avaliador, baseando-se em uma série de critérios pré-definidos.

Por sua vez, o chamado feedback 360 graus tem foco mais qualitativo, ou seja, a avaliação está mais centrada no texto ou na percepção do avaliador do que na classificação a partir de critérios específicos.

Como a metodologia funciona na prática?

Embora possa ser aplicada em diferentes modelos, a avaliação 360 graus funciona essencialmente com a conclusão de um teste sobre o perfil do colaborador. A respeito do avaliador, são analisados ​​diversos critérios com o uso de um sistema de notas, alternativas rápidas ou pontos. Veja o andamento usual do processo:

  1. Em primeiro lugar, é fundamental que o departamento de RH, em conjunto com as principais lideranças, defina os critérios ou pontos de avaliação que sejam essenciais para a empresa;
  2. São entregues os experimentados para os avaliadores selecionados (naturalmente, é importante que essas pessoas tenham um bom conhecimento sobre o comportamento do avaliador, que também avalia a si mesmo);
  3. Com os experimentados finalizados em mãos, deve-se compilar os resultados e comunicar a análise ao profissional em questão. Vale ressaltar que as estimativas serão anônimas, ou seja, o avaliador não saberá quem participou do processo;
  4. No momento do feedback, o gerente ou funcionário responsável pela tarefa faz uma comparação entre aquilo que foi apontado pelos outros e que foi dito pelos próprios avaliadores. Dessa forma, o gestor faz um balanço importante das expectativas e registradas pessoais do colaborador, além de destacar os pontos que podem ser melhorados, a fim de motivar o funcionário a aperfeiçoar seu desempenho.

Quais são os critérios analisados ​​na avaliação 360 graus?

Dentre os principais fatores avaliativos incluídos no acompanhamento, podemos citar:

  • Habilidades interpessoaistais como trabalho em equipe, iniciativa, liderança, comunicação e organização;
  • Capacitação e competências técnicas do profissional;
  • Desempenho, que pode incluir projetos entregues, satisfeitos dos clientes, metas atingidas e/ou serviços de atendimentos realizados;
  • Pontos fortes e fracos;
  • Pontos que podem ser melhorados (geralmente avaliados por meio de questões abertas).

Por que uma avaliação 360 graus é tão importante para as empresas?

Como mencionamos, o valor de um feedback bem aplicado é imensurável. Tendo em vista que a avaliação 360 graus permite traçar um panorama amplo sobre o perfil do funcionário (em contraste com sua opinião sobre si mesmo), a ferramenta permite alinhar o tempo com os comportamentos e resultados desejados pela empresa, fortalecendo a cultura organizacional e favorecendo o alcance dos objetivos.

Com um “diagnóstico” preciso sobre sua atuação, o avaliador profissional se sente motivado a aperfeiçoar suas competências, melhorar seus pontos insatisfatórios e mesmo a investir no seu próprio desenvolvimento pessoal, desde que a avaliação seja feita com muita maturidade e respeito. O resultado, com uma aplicação bem-sucedida, é uma equipe mais sintonizada, empenhada, colaborativa e disposta a fazer as melhores entregas.

Para além dos próprios funcionários, a empresa também se beneficia muito: com os resultados, é possível identificar pontos de melhoria na própria estrutura organizacional, além de tomar decisões estratégicas mais acertadas. Como liderançasafinal, ganhe uma visão bastante precisa sobre o que pode ser melhorado e que deve ser estimulado nas rotinas de trabalho.

Como aplicar o avaliado da avaliação 360 graus?

A depender das necessidades e dos objetivos de sua empresa, a prática da avaliação pode ser aplicada em diferentes formatos, seja com respostas mais rápidas e diretas, de maior ou menor complexidade, com alternativas de respostas, com foco em ética ou em desempenho… muitos são as variações possíveis.

A seguir, confira um modelo com 3 alternativas de resposta e foco em diversos aspectos do perfil do funcionário. Importante: neste formato, os avaliadores devem responder às perguntas com as opções “nunca”, “algumas vezes” ou “sempre”:

1. Critério avaliado: integridade e ética

  • O funcionário trabalha de maneira ética?
  • Nas situações de conflito de opiniões, ele procura ser justo e imparcial?

2. Critério avaliador: trabalho em equipe

  • O funcionário consegue trabalhar bem em grupo, sem provocar conflitos?
  • Ele contribui para o diálogo e para a busca coletiva de soluções?

3. Critério de avaliação: liderança

  • O funcionário é ativo ao influenciar e motivar a equipe a participar dos projetos propostos?
  • Ele respeita e compreende as diferentes personalidades do grupo, buscando retirar o melhor de cada uma?

4. Critério avaliador: visão global da organização

  • O funcionário entende a importância da conexão com os demais departamentos da empresa para que todos desempenhem bem suas funções?
  • Ele identifica pontos que precisam de atenção para o sucesso da empresa e para o melhor atendimento dos clientes?

5. Critério avaliador: proatividade

  • O funcionário tem uma postura positiva diante de desafios, dificuldades e novas responsabilidades?
  • Ele incentiva os colegas de equipe a encontrarem soluções para os problemas do seu departamento?

6. Critério avaliador: foco nos resultados

  • O funcionário direciona seus esforços e habilidades para atingir as metas da empresa?
  • Ele procura engajar os colegas no alcance dos objetivos da organização?

7. Critério avaliador: responsabilidade profissional

  • O funcionário busca alcançar um alto nível de qualidade, tal como definido pelos padrões da empresa?
  • Ele cumpre os prazos e busca atingir as metas protegidas ao cumprir sua função?

8. Critério avaliador: organização no trabalho

  • O funcionário consegue usar seu tempo de maneira produtiva?
  • Ele consegue definir prioridades, alocando o tempo de maneira organizada quando tem muitas tarefas para realizar no dia?

9. Critério avaliativo: habilidade de comunicação

  • O funcionário se comunica de forma objetiva e ética, sem esconder informações?
  • Ele transmite as informações necessárias para seus colegas de trabalho?

10. Critério de avaliação: relacionamento interpessoal

  • O funcionário busca ser conciliador e prudente nas situações de conflito?
  • Ele busca a união do tempo, prezando por um ambiente de trabalho agradável e eficiente?

Por fim, é interessante reforçar que há modos distintos de aplicar a avaliação 360 graus, com a prevalência de um ponto em comum: a coleta da opinião de profissionais de diversos níveis, incluindo chefes, colegas, subordinados, clientes e interessados ​​(os últimos dois são). Com a diversidade de análises, a confiança da iniciativa aumenta, gerando ótimos resultados tanto para o profissional quanto para a empresa.

E aí, gostou do conteúdo? Para aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, confira nosso artigo sobre a importância da cultura do feedback nas empresas!

Nova frase de chamariz