Grandes responsabilidades que acompanham a posse de cachorrinhos


grandes responsabilidades com a posse de cachorrinhosÉ sempre divertido antecipar a adição de um novo membro à família. Como acontece com qualquer animal de estimação, quando você está pensando em pegar aquela bola de pelo fofinha, certifique-se de fazer sua pesquisa e se preparar com antecedência. Então, você e seu amigo peludo se ajustarão bem à sua nova vida juntos. Quando se trata de cachorrinhos, surgem grandes responsabilidades ao cuidar deles:

1. Conheça sua raça

índice

A menor das raças pequenas inclui Affenpinscher, Brussels Griffon, Chihuahua, Japanese Chin, Maltês, Papillon, Pomeranian, Russian Toy, Toy Fox Terrier e Yorkshire Terrier. A primeira regra do sucesso do animal de estimação é conheça sua raça.

Cada raça tende a ter seus próprios traços de personalidade, necessidades de higiene, hábitos alimentares, etc. Leia o máximo que puder antes de escolher seu cachorro. Pequenos e adoráveis ​​– muitas pessoas simplesmente não conseguem resistir ao desejo de possuir um desses filhotes “portáteis” simplesmente porque eles podem ir a qualquer lugar e ser carregados facilmente. Mas esses cachorrinhos também vêm com muitas responsabilidades extras e grandes.

2. Saiba onde seu cachorro está o tempo todo

Então você pode perguntar: “Qual é o problema de um cachorrinho?” Há muitas coisas para manter em mente.

Muitos criadores liberam filhotes com 10 semanas de idade ou mais tarde. Se você pegar seu filhote nessa idade muito jovem, é importante ter em mente que você precisa saber onde seu cachorrinho está o tempo todo. Você nunca iria querer que eles fossem pisados, acidentalmente chutados, sentados ou feridos sem saber que eles estavam lá.

Um dos melhores truques é usar uma coleira com dois ou três sinos presos (uma coleira de gato também pode funcionar bem). Isso permite que você saiba quando seu cachorro está sob os pés e ajuda a evitar esses tipos de acidentes. Se o seu cachorro adormecer no meio do chão, ou em um sofá confortável em algum lugar, leve-o para a cama ou caixote ou outro local seguro.

3. A alimentação frequente é uma obrigação

Alimentar seu cachorrinho e com que frequência alimentar um filhote é outra das grandes responsabilidades a considerar. Como eles têm estômagos muito pequenos, as raças menores exigirão alimentação mais frequente – especialmente quando são muito jovens. Converse com seu criador ou proprietário sobre hábitos alimentares e frequência de alimentação. Certifique-se de reservar um tempo para fazer a transição da comida com a qual cresceram para a comida que você selecionou.

Fazendo perguntas e planejando com antecedência, a alimentação não deve se tornar um problema. Apenas certifique-se de ter tempo para se comprometer e de manter seu cachorrinho devidamente alimentado e regado. Escolha sempre produtos alimentares de qualidade para o seu amigo peludo. Vale a pena um pequeno investimento extra para ajudar a manter seu filhote comendo bem.

4. O exercício é importante – assim como a segurança

Outra coisa a lembrar é que você não quer carregar seu cachorrinho em todos os lugares. Filhotes, assim como bebês, precisam se exercitar e construir seus músculos e ligamentos. Suas articulações e ossos ainda estão em desenvolvimento e são suscetíveis a lesões.

Portanto, mesmo que você simplesmente adore seu amigo peludo, coloque-o no chão para dar a esses membros o exercício de que precisam para uma boa força e desenvolvimento. Mas, esteja avisado – os cachorrinhos geralmente adoram pular. Você deve garantir que seu filhote não pule de móveis altos em um único salto. Isso pode ferir suas articulações e causar-lhes problemas mais tarde na vida.

Ao levar seu cachorrinho em aventuras, lembre-se de que leva apenas uma curta caminhada para ele sair, porque leva muito mais passos para chegar lá! Portanto, também não exagere.

5. Vigilância Constante e Viagens Frequentes ao Exterior

Muitos donos de cachorros pequenos dizem que seus cachorros ainda sofrem acidentes em casa. Quando você se comprometer com um cachorrinho, reconheça que precisará fazer viagens mais frequentes para ir ao banheiro. O treinamento doméstico requer um esforço imediato, consistente e vigilante de sua parte.

Considerando que a bexiga de um cachorrinho só pode conter cerca de uma colher de sopa de líquido, você entende que são necessárias idas mais frequentes ao banheiro. Você precisará tirá-los com muita frequência, principalmente até que aprendam a rotina de sair ao ar livre. Os horários para sempre levar seu cachorro para ir ao banheiro são após as refeições, bebidas, brincadeiras e acordar.

Freqüentemente, um filhote fica parado um pouco antes de se soltar. Tente ficar de olho em qualquer sinal de que seu cachorro precisa ir ao banheiro – especialmente nas primeiras semanas. Isso pode significar viagens ao ar livre a cada 15 ou 30 minutos! É muito trabalho, mas vale a pena.

À medida que o filhote cresce e sua bexiga se fortalece, haverá períodos de tempo mais longos entre as viagens ao ar livre. No entanto, não espere que eles consigam segurá-lo por 8 a 10 horas. Se o seu cachorro sofrer acidentes, certifique-se de fazer uma limpeza adequada para que os resíduos e o cheiro sejam eliminados. Se essas medidas não forem tomadas, o filhote irá nesses mesmos lugares repetidas vezes. Comprometimento, consistência e persistência são as chaves para adestrar adequadamente seu cão de raça pequena.

6. Treinamento e socialização fazem uma grande diferença

Freqüentemente, as pessoas reclamam que os cachorros pequenos são latindo e mordendo. Embora as raças pequenas tendam a ser vocais, a socialização e o treinamento adequado desde o início podem ter um impacto extremamente positivo nesses comportamentos. Raças minúsculas são tão inteligentes e ansiosas para agradar quanto suas contrapartes maiores. Elas pode ser facilmente ensinado boas maneiras, como não beliscar para as pessoas quando elas estão animadas.

Fornecer estimulação frequente e muitos brinquedos para mastigar ajuda a evitar que seu filhote desenvolva alguns dos comportamentos mais destrutivos. Ensine ao seu cachorro desde o início quais as coisas que lhe pertencem para brincar e mastigar e quais as que não lhe pertencem.

Mas não espere que eles saibam a diferença entre mastigar um sapato velho e mastigar aquele par de couro caro que você acabou de comprar. Para eles, um sapato é um sapato e eles precisam saber que estão fora dos limites.

Existem muitos itens no mercado para ajudar durante a fase de dentição, porque aqueles dentinhos de cachorro são como agulhas quando decidem roer um dedo!

Quando se trata de latir, lembre-se de que é natural que algumas raças o avisem quando ouvem algo que você não ouve. Ou, seu cachorro pode estar tentando lhe dizer algo. Se você ignorá-lo, você pode encorajar latidos involuntariamente. Talvez eles estejam com fome ou com sede, talvez estejam entediados ou talvez estejam prontos para aquela pausa para ir ao banheiro.

Prestar atenção aos sinais que nossos animais de estimação nos dão é uma parte importante da propriedade. No entanto, você não quer que seu cachorro fique feliz e latindo para tudo. Esta é outra razão pela qual A socialização em uma idade jovem é muito importante. Expor o seu cachorro a uma grande variedade de experiências irá torná-lo mais confortável e relaxado. Quanto mais confortável e relaxado você puder ajudar seu filhote a ficar perto de outras pessoas (pessoas e animais de estimação), menor será a probabilidade de ele se tornar um cachorro latindo.

Isso pode levar algum tempo e esforço de sua parte. Planeje passeios que incluam a exposição a diferentes sons, ambientes, pessoas e animais. Dessa forma, você dá ao seu cachorro uma boa base e cria familiaridade com as coisas que ele pode encontrar no dia a dia. Afinal, menos medo significa menos latidos.

7. Aprenda sobre problemas de saúde específicos de raças pequenas

Finalmente, tenha em mente que raças pequenas são propensas a seu próprio conjunto de problemas de saúde. Existem inúmeros recursos para aprender sobre os tipos de doenças médicas que você pode encontrar com seu amigo de raça pequena. Aqui estão alguns problemas de saúde para começar:

Esses problemas de saúde podem ocorrer em todas as raças, mas tendem a ser mais comuns em raças pequenas: luxação patelar, doença do disco intervertebral (IVDD), pancreatite, síndrome das vias aéreas braquicefálicas e ectrópio.

É importante reservar um tempo para se familiarizar com algumas das doenças mais comuns, para que você possa reconhecer os sintomas caso seu filhote os apresente.

Como em qualquer coisa que valha a pena, ter um novo animal de estimação traz desafios a serem aceitos. Quando você decide levar para casa aquele cachorrinho, pode garantir o sucesso por meio da educação, preparação e planejamento. Estar ciente do que é preciso para tornar seu novo companheiro um membro feliz e bem ajustado de sua família tornará a jornada mais fácil para vocês dois. Eventualmente, você não conseguirá imaginar a vida sem seu melhor amigo ao seu lado, e seu filhote poderá trazer anos de alegria para sua casa.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *