Fui punido por virtudes, diz Bolsonaro sobre inelegibilidade

[ad_1]

Segundo o ex-presidente, “sistema brasileiro decidiu se antecipar” para tirá-lo de disputa pelo Planalto

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou ter sido “punido” pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que decidiu por sua inelegibilidade, por suas virtudes e para que fosse tirado da disputa em 2026. Disse ainda que não esperava perder as eleições de 2022 por ser “reconhecido no país todo”.

“Não esperava perder a eleição. Não esperava porque, a eleição que eu sei, é você ser reconhecido no país todo. Quem viu a motociata aqui em São Paulo sabe. Foi uma coisa inacreditável […] Vontade de ser presidente novamente? Eu queria ir para a praia. Mas entendo que é uma missão”, declarou, durante evento do PL (Partido Liberal) na Câmara Municipal de São Paulo, nesta 3ª feira (25.jul.2023).

Assista (2min30s):

Bolsonaro também afirmou que durante as eleições de 2022 foi impedido de vincular imagens de motociatas realizadas pelo país.

“A gente viu que mais um padre foi preso na Nicarágua. Lá o [presidente Daniel]Ortega pode disputar tranquilamente, 6 ou 7 opositores estão presos. A Bolívia vai no mesmo caminho. Venezuela idem. A María Corina perdeu o direito político por 15 anos. Aqui, o sistema resolveu se antecipar, vamos tornar o cara inelegível”, disse.

O ex-chefe do Executivo falou sobre o processo enfrentado no TSE, em que foi levado à pauta o encontro com embaixadores em julho de 2022.

“Ué, a Dilma [Rousseff] se reuniu em 2016. E ela foi explícita. Pediu apoio dos embaixadores contra o impeachment. ‘Ah, porque atacou o sistema eleitoral’. Tudo é ataque. Falar do sistema eleitoral é ataque. Falar do Supremo é ataque. Falar do ministro é ataque”, disse.

Ainda sobre o processo, Bolsonaro afirmou que o inquérito traz uma “denúncia de fraude nas eleições” de 2018 –em que saiu vitorioso diante de seu adversário, o atual ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

“Mas o sistema é infalível, ué. Por que a senhora presidente [do STFRosa Weber determinou que fosse aberto inquérito de novembro de 2018? Uma semana depois da minha eleição? Para apurar fraude. E geralmente, quem frauda é quem ganha. Não foi a fraude do Haddad, foi a fraude do Bolsonaro”, declarou.


Leia mais:



[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *