Dois aliados de Trump se entregam à Justiça nos EUA


Ex-presidente dos EUA e mais 16 réus acusados de conspirar para reverter eleições na Geórgia devem se entregar à polícia até 6ª feira

Dois dos réus acusados com o ex-presidente dos EUA Donald Trump de conspirar para reverter a derrota eleitoral do republicano em 2020 no Estado Geórgia se entregaram à polícia de Atlanta na 3ª feira (22.ago.2023). São eles: o ex-advogado de Trump, John Eastman, e o observador eleitoral republicano, Scott Hall.

A Polícia de Atlanta informou que os outros 17 réus citados no processo devem se entregar até 6ª feira (25.ago), incluindo o ex-presidente.

ENTENDA O CASO

Donald Trump foi formalmente indiciado em 14 de agosto de 2023 por tentar alterar o resultado da eleição presidencial de 2020 na Geórgia. O pleito foi vencido pelo democrata Joe Biden. O ex-presidente e os 18 co-réus na ação têm até 6ª feira (25.ago) para se apresentarem à Justiça de Atlanta, capital do Estado.

As investigações do caso começaram em fevereiro de 2021, depois de vazar uma ligação entre Trump e o secretário da Geórgia, Brad Raffensperger, que também é responsável pelo processo eleitoral no Estado.

Na conversa, o ex-presidente pede para Raffensperger arranjar 12.000 votos a mais para que ele ganhasse a eleição. “Trump e os outros réus se recusaram a aceitar que Trump perdeu e, consciente e intencionalmente, se juntaram a uma conspiração para mudar ilegalmente o resultado da eleição em favor de Trump”, diz a acusação.

Para vencer a eleição presidencial nos Estados Unidos, é preciso obter 270 delegados no Colégio Eleitoral. Em 2020, Biden teve 306 delegados e Trump, 232. Com 16 delegados, a Geórgia –que não havia dado maioria a um presidente democrata desde Bill Clinton, em 1992– foi para o lado de Biden por uma diferença inferior a 12.000 votos.

Trump nega as acusações.

OUTROS CASOS

Este é o 4º indiciamento contra o ex-presidente. Em 1º de agosto, Trump foi acusado de instigar a invasão ao Capitólio –o Congresso norte-americano. Dois meses antes, foi indicado de 37 acusações criminais relacionadas ao manuseio de documentos secretos depois de ter deixado a Casa Branca.

Ainda em março, o republicano também foi indiciado no caso de um suposto pagamento de US$ 130 mil à atriz pornô Stormy Daniels. O dinheiro teria sido dado a ela durante a campanha presidencial de 2016 para que Daniels não divulgasse um suposto caso extraconjugal com o ex-presidente. Trump se declarou inocente de todas as acusações.

CORRIDA PRESIDENCIAL

Apesar dos problemas com a Justiça, Trump lidera com folga as prévias do Partido Republicano, que decidem quem será o candidato do grupo político nas eleições de novembro de 2024. A escolha está marcada para 15 de janeiro de 2024.

Segundo o agregador de pesquisas do FiveThirtyEight, o ex-presidente tem 52,2% das intenções de voto. O governador da Flórida, Ron DeSantis, aparece na sequência, com 14,5%. O empresário Vivek Ramaswamy e o ex-vice-presidente Mike Pence estão na 3ª e 4ª colocação, com 8,9% e 4,2%, respectivamente.



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *