Comprar criptomoeda é seguro? Como saber se uma moeda digital é mais segura que outra?









Se você tem interesse no universo das moedas digitais, já deve ter se perguntado se comprar criptomoeda é seguro. Afinal, diferentemente das moedas tradicionais, como real e dólar, não é possível ver as criptomoedas e nem tocá-las, porque elas só funcionam no mundo digital.

Além disso, com o crescimento desse mercado, muitas criptomoedas sem valor foram criadas, as chamadas shitcoins, e até criptos atreladas a golpes famosos – conhecidos como scamcoins. Tudo isso sem contar como memecoins, que normalmente não têm projetos relevantes por trás e cujo valor é atrelado à popularidade de um meme da internet.

Ao todo, existem cerca de 20 mil criptomoedas no mundo, mas apenas metade delas tem algum valor de mercado, segundo o CoinMarketCap. É tanta moeda digital surgindo e tanta gente falando sobre elas que são dúvidas naturais sobre a segurança das criptomoedas que surgirão. Entenda de uma vez por todas se esse mercado é mesmo seguro.

Saiba mais sobre criptomoedas no vídeo abaixo:

Em primeiro lugar, existe uma diferença entre a segurança do mercado de criptomoedas como um todo e a segurança das moedas digitais em si. A segurança de um mercado está atrelada ao risco de perder dinheiro. E como se mede isso? Olhando para a volatilidade. Ou seja, para a variação de preços.

Quanto mais volátil é um mercado, maior é o sobe e desce dos preços dos ativos dele. Se essa variação for muito constante e intensa, o risco de perda aumenta. Esse risco gera a sensação de insegurança porque, neste caso, é difícil projetar como estará um ativo daqui a um minuto ou daqui a alguns anos. No mundo do dinheiro, tudo o que não é previsível é considerado menos seguro.

Veja que o conceito de segurança aqui não está atento a coisas erradas e ilegítimas. Não é porque o mercado de ações varia muito, por exemplo, que ele é perigoso ou ilegal. Ele tem alto risco porque suas chances de perder dinheiro ao comprar ou vender uma ação no momento errado, e sem a avaliação correta, são grandes.

Outro fator que torna o mercado de criptomoedas muito arriscado é a desconfiança. Todo mercado novo cria uma pulga atrás da orelha de muita gente e demora algum tempo para que ele seja encarado como mais seguro. No caso das criptomoedas, a falta de regulamentação ajuda a aumentar as tensões – elas alimentam ainda mais o risco desse mercado.

Criptomoedas com projetos, ou seja, uma tecnologia com potencial de solucionar problemas ou mexer com algum mercado, e que de fato foram criados dentro de blockchains são, sim, seguras. As redes de blockchain funcionam como uma espécie de banco de dados por meio do qual são realizadas transações seguras, rastreáveis ​​e descentralizadas – ou seja, sem intermediários.

Dentro dessa rede, as informações são criptografadas. A criptografia é a base das criptomoedas. Ela funciona como uma camada de segurança online que dificulta bastante qualquer tipo de fraude. De forma bem simplificada, a criptografia é um modo de embaralhar uma informação para que somente quem tem o código (também chamado de “chave”) consiga decifrá-la.

O que pode acontecer – e já aconteceu – é o roubo de carteiras digitais e de corretoras de criptomoedas por meio de ataques hackers. Mas veja que isso não tem relação com a segurança das criptomoedas em si, mas com a segurança das corretoras e programas que armazenam carteiras digitais.

Além disso, nem todas as criptomoedas são verdadeiras. Há muitos projetos de moedas digitais por aí sendo vendidos como legítimos, mas que não têm qualquer relação com redes de blockchain ou qualquer tecnologia criptografada. Em geral, esses ativos estão relacionados a golpes. Por isso, é preciso atenção na hora de escolher.

Veja aqui como escolher uma boa criptomoeda.

A segurança na hora de comprar uma criptomoeda é outro ponto, e tem três aspectos principais:

  • O seu perfil de risco;
  • Quanto você vai investir;
  • Qual ferramenta você vai usar para fazer essa compra.

Quem é você no mundo das criptomoedas?

Cada mercado tem um risco diferente, como você leu acima. Mas esse risco pode ser ainda maior ou menor dependendo de quem compra. Para uma pessoa, por exemplo, andar de avião é muito arriscado. Para outra, não é. O seu perfil de risco ajuda a determinar se comprar criptomoedas é seguro ou não.

Em outras palavras, o seu perfil avalia o apetite que você tem ao risco. Ou seja, qual é o limite que você tolera de perder dinheiro. Quanto maior for essa tolerância, mais risco você aguenta.

Dessa forma, comprar criptomoedas é seguro dependendo dessa tolerância. Uma pessoa que já compra ações, entende e aceita o sobe e desce altas desse mercado tende a lidar melhor com as variações das criptomoedas, por exemplo. Para ela, está tudo bem ver o preço cair e subir com frequência.

Agora, quem costuma ficar apenas em ativos da renda fixa, por exemplo, pode se assustar com tanta variação. Para quem tem um perfil mais conservador e perde o sono com esse sobe e desce, é melhor pensar duas vezes antes de entrar nesse mercado. O ideal é começar com modalidades mais seguras dentro da variável renda para ir se acostumando.

E se você está com dívidas ou com seu orçamento desorganizado, é melhor passar longe de qualquer ativo de risco, segundo explica Hugo Carone, analista de investimentos da NuInvest.

“Se você não consegue ter suas finanças controladas, que é o básico, imagina se vai conseguir controlar o que é variável, que não depende de você? O risco de piorar demais a sua situação financeira é grande. Então, precisa ajustar suas contas antes de comprar qualquer ativo”, afirma.

Veja aqui quais são os perfis de risco e descubra qual é o seu

Quantas criptomoedas você vai comprar?

Outro fator que ajuda a responder se comprar criptomoedas é seguro é o valor que você vai gastar com elas. Existe uma regra no planejamento financeiro e de investimentos que diz para você não colocar todos os ovos em uma única cesta. A razão dessa regra é simples: ao colocar todo seu dinheiro em um lugar só, se algo acontecer, você perde todo o seu patrimônio.

Imagine colocar todas as suas economias em um negócio. Depois de um tempo, esse negócio não dá certo e quebra. Nessa situação, você perdeu todo o seu dinheiro de uma vez só. Se você colocar todo o seu dinheiro em uma criptomoeda, você aumenta o seu risco. Por isso, a recomendação é sempre distribuir seu patrimônio em caixinhas diferentes.

Além disso, a proporção de dinheiro em cada caixinha vai depender do seu perfil de risco. Segundo Carone, pessoas mais conservadoras podem colocar uma parte bem pequena do seu patrimônio em criptomoedas. Já quem tem perfil mais arrojado, pode ter um pouco mais. Contudo, é importante variar até mesmo entre as criptomoedas – não coloque toda a sua parcela que vai para moedas digitais em uma única cripto.

Como você vai comprar criptomoedas?

Hoje, muitos lugares oferecem a possibilidade de você comprar e vender criptomoedas. Escolher o melhor lugar pode ser a diferença entre tornar a compra de uma moeda digital segura ou não. Faça as seguintes estimativas:

  • Essa empresa é de confiança?
  • Você já tem uma relação com ela?
  • Ela oferece uma plataforma simples?
  • Já foi alvo de hackers?
  • É fácil visualizar e vender suas criptomoedas?
  • Essa plataforma está em português ou tem muitos termos difíceis e em inglês?

Você leu acima que, hoje, existem muitos shitcoins e scamcoins. Como saber se a criptomoeda que você escolheu é segura? Veja, abaixo, as dicas de Hugo Carone, analista de investimentos da NuInvest.

Acesse o site da criptomoeda e leia o whitepaper

Essa é uma dica até simples, mas que pode te livrar de golpes de criptomoedas. Desconfie se uma cripto não tem sequer um site que explique o que ela é e como funciona. Esse site deve ter um documento que explique o projeto da criptomoeda – esse documento é conhecido como whitepaper.

No site, verifique as seguintes informações:

  • Quem criou essa cripto e por quê?
  • Qual a tecnologia por trás dessa criptografia? Ou seja, o que a blockchain dessa cripto oferece para o mundo?;
  • Como essa criptomoeda é criada?

Essa criptomoeda tem algum projeto?

As informações que você checa no site te ajudam a entender se essa criptomoeda tem algum projeto relevante ou se ela nasceu apenas para especulação, como é o caso das memecoins. E esse é um fator relevante de segurança.

Uma criptomoeda sólida oferece uma tecnologia com potencial para solucionar algum problema ou mexer com algum mercado. Quanto mais importante e revolucionário para essa tecnologia, maior é o potencial da criptomoeda e, por consequência, maiores são as chances de ela não desaparecer.

Para onde o mercado está olhando?

Embora seja um caminho importante, o whitepaper é muito ignorado, principalmente por quem está entrando agora no universo de criptomoedas, segundo Carone. Além disso, há algumas barreiras que dificultam a leitura: normalmente esse documento está em inglês e tem muitos termos técnicos difíceis de entender.

Por isso, ele indica outra forma de saber se uma criptomoeda é mais segura que outra: checar para que lado o mercado está olhando.

“Qual criptomoeda as pessoas mais confiam? Para qual a maioria do mercado está dando confiança? Ela está sendo negociada por grandes instituições? Isso tudo traz confiança”, afirma.

Verifique o valor de mercado (ou market cap)

O valor de mercado é um dos principais indicadores do mercado de criptomoedas. Ele mostra o valor total de uma criptomoeda. Basicamente, o valor de mercado é a quantidade de criptomoedas multiplicada pelo valor de cada uma delas.

Esse número ajuda a entender o potencial de crescimento de uma criptomoeda e ainda indica se uma cripto é mais estável em relação a outra – um fator de segurança. Vale lembrar que o mercado de moedas digitais não é estável. Contudo, existem criptomoedas mais estáveis ​​do que outras e o market cap ajudam nessa comparação.

Quanto maior o valor de mercado de uma cripto, mais estável ela é frente a outras moedas digitais, porque ela sente menos o impacto do sobe e desce.

Segundo Carone, é importante não apenas olhar o valor de mercado do momento, mas o histórico. O mercado de criptos está repleto de picos e baixos, mas é importante que a evolução geral do valor do market cap de uma cripto seja de crescimento.

Verificar o volume de transações

Outro indicador que pode ajudar a identificar se uma criptomoeda é segura é o volume de transações, que é o valor de todas as compras e vendas realizadas durante um período.

Projetos considerados sérios têm muito mais fluxo e volume de negócios. As memecoins, que muitas vezes são criadas por brincadeira, costumam não ter adesão de tantas pessoas e, por isso, tem um menor volume de negociação.

Verifique o preço médio

Segundo Hugo Carone, da NuInvest, existe uma regra no mercado financeiro que pode ser aplicada às criptomoedas e que ajuda a entender se uma moeda digital é menos ou mais volátil.

“Se o preço médio de qualquer ativo estiver abaixo do preço médio dela dos últimos 200 dias, você deve ter um pé atrás”, afirma. Ele reforça, porém, que como o mercado de cripto ainda é muito novo, é importante aplicar essa regra às moedas digitais mais antigas, como bitcoin e ether.

Leia também

Dicionário das criptomoedas: 34 termos e palavras para aprender antes de entrar nesse universo.

O que é blockchain?

O que é bitcoin e como funciona essa moeda virtual?

Ethereum: como funciona a segunda criptomoeda mais famosa do mundo?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e nossa história aqui.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *