Brasil e Índia podem acordar uso de moeda local em transações


A Índia pode recorrer a parceiros-chave na América Latina e na África para firmar acordos bilaterais e facilitar o comércio em moedas locais. As negociações ocorreriam com países como Brasil, Argentina, África do Sul, Senegal e Tanzânia. A informação é do site indiano Money Control. Conforme uma fonte do governo indiano ouvida pela publicação, os acordos ajudariam em um eventual plano de internacionalizar a rupia.

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), embarcou no domingo (20.ago.2023) para a África do Sul para participar da 15ª cúpula do Brics, realizada em Joanesburgo, de 22 a 24 de agosto. O grupo é formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A Índia assinou um memorando de entendimento no mês passado com os Emirados Árabes Unidos para usar a rupia e o dirham em transações bilaterais. Segundo o Money Control, um acordo semelhante foi discutido com a Indonésia durante reunião à margem do encontro dos Ministros das Finanças e chefes de Bancos Centrais do G20 em Gandhinagar (Índia), em meados de julho.

Lula vem defendendo o uso de moedas locais em transações internacionais em detrimento do dólar. Em viagem à China em abril, por exemplo, o presidente falou sobre a realização do comércio nas moedas dos países integrantes do Brics.

Por que todos os países são obrigados a fazer seu comércio lastreado no dólar? (…) Por que não o iene? Por que não o real?”, disse o chefe do Executivo na época. Segundo Lula, a mudança de moeda “é difícil, porque tem gente mal acostumada”.

No fim de maio, Lula declarou que se deveria estabelecer uma unidade de referência comercial para diminuir a dependência de moedas extrarregionais”.

Ao falar na 62ª Cúpula do Mercosul, realizada em Puerto Iguazú (Argentina) no começo de julho, o presidente defendeu a criação de uma moeda comum para o Mercosul.

A adoção de uma moeda comum para realizar operações de compensação entre nossos países contribuirá para reduzir custos e facilitar ainda mais a convergência. Falo de moeda de referência específica para o comércio regional, que não eliminará as respectivas moedas nacionais”, declarou Lula.



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *