Astrud Gilberto, cantora de bossa nova de Garota de Ipanema, morre aos 83 anos


Astrud Gilberto, cuja interpretação sonhadora de Garota de Ipanema se tornou a versão mais popular da música, morreu aos 83 anos.

Paul Ricci, colaborador de Gilberto, confirmou a notícia nas redes sociais, escrevendo que havia sido solicitado a anunciá-la pelo filho de Gilberto, Marcelo. “Ela foi uma parte importante de TUDO que é música brasileira no mundo e mudou muitas vidas com sua energia”, completou.

Nascida em 1940 no estado brasileiro da Bahia e criada no Rio de Janeiro, Astrud Weinert casou-se com o músico João Gilberto em 1959. Em 1963, ela o acompanhou em uma viagem a Nova York, onde gravaria com o artista de jazz Stan Getz e o compatriota da bossa brasileira. nova estrela Antônio Carlos Jobim. O produtor da sessão queria uma cantora de língua inglesa para ajudar A garota de Ipanema a chegar ao público americano, e Astrud – que não tinha nenhuma experiência anterior em gravação – era a única pessoa que sabia falar.

A versão original era um dueto com o marido – Astrud nem foi creditada na gravação, foi cortada dos royalties e recebeu apenas uma pequena taxa de músico de sessão. Mas depois que The Girl from Ipanema foi reeditado sem os vocais em português de João como single solo, tornou-se um grande sucesso em 1964, alcançando o Top 5 dos EUA e o Top 30 do Reino Unido. Ganhou o prêmio Grammy de música do ano , e Gilberto também foi indicado para melhor interpretação vocal feminina. Naquele ano, ela e João se divorciaram, e ela fez uma turnê pelos Estados Unidos com Getz e sua banda, uma experiência que ela descreveu mais tarde como “momentos muito difíceis… -nova carreira exigente”.

The Girl from Ipanema seria seu único grande sucesso – embora tenha voltado às paradas do Reino Unido em 1984 quando a bossa nova floresceu novamente, popularizada por Everything But the Girl, Sade e outros – mas ela manteve um fandom para uma série de álbuns solo subsequentes. no selo de jazz Verve, começando com o Álbum Astrud Gilberto de 1965. Ela também gravou com Chet Baker e continuou em turnê até 2002. Em 2008, ela recebeu o prêmio pelo conjunto da obra do Grammy Latino.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *