Após onda de violência, França tem noite calma de protestos


Mais de 700 pessoas foram presas por crimes contra a morte de adolescente pela polícia; jovem foi sepultado no sábado (1º de julho)

O ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, disse que o nível de violência que protestamos contra a morte de um adolescente pela polícia diminuiu após 4 noites. Ainda assim, 719 pessoas foram presas em todo o França Noite de sábado (1º de julho de 2023) às 8h deste domingo (2 de julho) no horário local (3h de Brasília). As informações são do jornal francês o mundo.

Darmanin disse aos jornalistas que 45.000 membros das forças de segurança são treinados para combater a violência nas manifestações. A força policial foi reforçada em Lyon, Grenoble e Marselha – como cidades registradas tumultos intensos na noite da 6ª feira (30 de junho) e na madrugada de sábado (1º de julho), com carros incendiados e depredações.

de acordo ou o mundo, Foram registrados incidentes em Marselha, onde a polícia disparou gás lacrimogêneo contra os manifestantes. Também temos conflitos em Estrasburgo e Nice, mas “sem comparação” com a onda de violência vista a partir da morte de um adolescente de 17 anos.

Veja imagens de Marselha cadastradas nas redes sociais:

Ó Presidente da França, Emmanuel Macrondeixou uma cúpula dá UE (União Europeia) em Bruxelas na manhã da 6ª feira (30 de junho) para participar num encontro de crise e despedir-se de uma visita de Estado à Alemanha, que teria início este domingo (2 de julho). Ele pediu ao país que mantenha os filhos em casa e acusou as empresas de redes sociais de realizar um “papel considerável”, alegando que a violência está sendo organizada online. Peça a plataformas como Snapchat e TikTok para remover conteúdo confidencial.

O jovem Nahel, filho de imigrantes, morreu na 3ª feira (27 de junho) em um atentado policial na avenida Joliot-Curie, em Nanterre, região metropolitana de Paris. Desde então, os franceses protestam contra a violência policial no país.

Segundo a polícia, os seguranças fiscalizavam uma Mercedes que supostamente trafegava em faixa exclusiva de ônibus. Na ocasião, a polícia local confirmou que o motorista do veículo se recusou a parar e avançou contra dois agentes. O policial, então, agarrou o peito de Nahel.

Entretanto, um vídeo publicado no Twitter depois que o caso foi visto pelo público mostra uma versão diferente. Nas imagens, 2 policiais estão posicionados próximos a um carro amarelo e parecem impedir o avanço do veículo. Um deles, de pé e encostado no para-brisa, aponta uma arma para o motorista. O carro, enquanto avança, o policial atira. De imediato, é possível perceber que o carro bateu em um poste.

Segundo ou Ministro do Interior, ou policial responsável pelo tiroteio está sob custódia. Além disso, duas questões foram abertas pela Inspeção-Geral da Polícia Nacional para agilizar o caso.

Nahel foi enterrado no sábado (1º de julho). Além da família do jovem de 17 anos, centenas de pessoas comparecerão ao local para prestar homenagem. A cerimônia foi encerrada por votação às 17h30 no horário local (12h30 em Brasília).



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *