Após ameaça, Lula defende tolerância “com quem pensa diferente”


Presidente, no entanto, disse que não se pode ofender outras pessoas e defendeu investigação de quem fizer “bravata na rua”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu nesta 2ª feira (7.ago.2023) que haja tolerância entre pessoas que pensam diferente, e que qualquer um pode “falar a bobagem que quiser”, mas que ninguém tem o direito de partir para ofensas. Ao comentar as ameaças de morte feitas a ele na semana passada, o chefe do Executivo afirmou ser “um homem de muita fé” e disse ter consciência do “papel que joga” no país. “Cachorro que late, não morde. Então, qualquer cidadão que ficar fazendo bravata na rua, vai ser chamado na delegacia para ‘colocar’ um depoimento”, disse. Lula também citou como exemplo as recentes brigas entre torcidas de futebol e disse que é preciso ser tolerante. “As pessoas ficaram menos tolerantes. Nós vamos ser tolerantes com quem não pensa igual a nós”, disse. O presidente, no entanto, disse que, se houver nova tentativa do que chama de golpe, em relação aos atos antidemocráticos do 8 de Janeiro, mais gente será presa e “pagará o preço”. Lula participou pela manhã da inauguração da Infovia 01, rede de fibra óptica de 1.100 km de extensão instalada no leito do Rio Amazonas, em evento em Santarém (PA).

Assista ao discurso de Lula no evento (24min21s):



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *